É bastante comum nos meios empresariais ouvirmos um comentário do tipo: “Ele/ela era um excelente técnico… mas agora, como líder, é uma decepção.” Também é comum a atitude de um diretor/administrador em premiar o bom desempenho de um funcionário, promovendo-o a líder. Só que nem todos os bons funcionários estão preparados para assumir a função de liderança. O “virar” líder é um processo bem complexo e exige atenção dos administradores/gestores das empresas – colocar a pessoa certa no lugar certo; atentar para as competências técnicas mas também para as competências humanas.

Dando continuidade a nossos artigos sobre as competências da liderança frente a sua equipe, vamos abordar, nesta edição, o equilíbrio para lidar com resultados e pessoas. Tão importante quanto atingir as metas e objetivos organizacionais, é focar no relacionamento com os membros da sua equipe, proporcionando-lhes motivação e qualidade de vida. Como cita Carlos Cruz, fundador do Instituto Brasileiro de Vendas: “Não podemos ter uma equipe que bate as metas todos os meses, mas que não tem um bom relacionamento ou estão sempre em situações de desgaste emocional. O contrário também não é desejado, um grupo de profissionais muito bem emocionalmente, mas que não gera conquistas e crescimento para a empresa. Portanto, é importante obter resultados através do desenvolvimento da equipe.”

Então, além de uma comunicação efetiva, o líder precisa ter senso da realidade, ou seja, não só fazer o que gosta e o que pedem os membros da sua equipe, mas é fazer o que é preciso, de acordo com os sinais que o mercado indica e na medida que o caixa da sua empresa permite. É preciso conscientizar e comprometer a equipe para o alcance dos resultados, que permitirão o crescimento da empresa, para que em contrapartida, essa empresa possa, de alguma forma, valorizar e beneficiar seus colaboradores.

Assim, um dos desafios para o líder competente é estar atento tanto para o ambiente interno da empresa (sua estrutura, planejamento e recursos humanos) quanto para o ambiente externo (mercado, clientes, concorrentes).

Bora lá, pensar nisso! Sucesso!

Por Edna Custódio | Comportamento 

Você Pode Gostar

Faça um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *