Somos todos eternos aprendizes num processo constante de aprendizagem e desaprendizagem ou educação continuada, como se denomina no mundo corporativo. Aprender é muito mais do que simplesmente acumular conhecimento; é uma reconstrução de nossas experiências cotidianas resultantes das mudanças e evoluções que exigem uma atenção constante em busca da excelência. E essa busca tem foco centrado na pessoa significando que o caminho para vencer os desafios é a formação de competências.

Para tornar-se um profissional bem sucedido, é preciso estar de prontidão e partir em outra direção, se necessário for. Isso exige o desenvolvimento de competências tais como sensibilidade, flexibilidade e autonomia. O filósofo John Dewey dizia que “é preciso aprender a aprender”, pois é assim que se ganha autonomia. E ter autonomia é ter a capacidade de apropriar-se dos conhecimentos e dar a eles aplicabilidade.

Desaprender aquilo que não agrega valor positivo à nossa vida pessoal ou profissional e concentrar na construção de novas perspectivas que se aplicam em soluções para diversos problemas, é um caminho sem volta. Se não for colocado em prática, nenhum conhecimento terá utilidade. Sabemos que o aprendizado conceitual e teórico é importante, mas se tornará irrelevante se, tudo o que aprendemos não for aplicável a várias situações da vida.

Somos pessoas curiosas, criativas e sensíveis e devemos olhar para cada mudança como uma oportunidade de aprendizado, crescimento e desenvolvimento de uma nova competência. Então, vamos colocar em prática as nossas aprendizagens.

 

Edna Custódio | Comportamento

Você Pode Gostar

Faça um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *