Você já ouviu por aí que dormir sem tirar a maquiagem pode causar acne ou que a pele oleosa demora mais para envelhecer do que a seca? A rotina de beleza está cheia de crenças populares que nem sempre são verdadeiras – e que podem, inclusive, prejudicar nossa saúde.

Entre tantos mitos e afirmações que envolvem os cuidados faciais, pode ficar confuso saber o que deve ou não ser levado a sério. Para tirar a limpo essas informações e responder algumas dúvidas frequentes sobre o assunto, conversamos com o dermatologista Dr. Alberto Cordeiro. Pronta?

A pele jovem não precisa de hidratação.
Mito. Independente da idade, todo tipo de pele precisa ser hidratada. Muitas pessoas confundem a oleosidade facial com hidratação, porém as duas coisas são completamente diferentes. Quando falamos de hidratação, estamos nos referindo a quantidade de água presente nas células da derme. Já o óleo, está relacionado à produção de sebo pelas glândulas sebáceas. Por isso, é possível ter uma pele ressecada que é oleosa, já que os dois fatores não estão interligados.

“A pele mais nova geralmente necessita de uma hidratação menos intensa que a envelhecida por ser menos lesada, mas ela ainda precisa de cuidados para ficar saudável e protegida”, explica o Dr. Alberto Cordeiro.

Pele negra não precisa de protetor solar.
Mito. A proteção solar é essencial para qualquer pessoa e deve ser usada diariamente, porque, além da exposição aos raios solares e do câncer de pele, o protetor também nos preserva de queimaduras, desidratação, manchas e envelhecimento precoce.

“A melanina, que está presente em maior quantidade na pele negra, de fato ajuda na proteção contra os raios solares. Porém, sozinha, ela não é suficiente para barrar toda a ação deles sobre a pele. Por isso, é indicado aplicar diariamente o protetor solar com um fator de proteção entre 15 e 30″, esclareceu Dr. Alberto.

Quanto mais vezes lavarmos a pele oleosa, melhor.
Mito. Quem sofre com a oleosidade sabe que é difícil controlar o impulso de higienizar o rosto toda vez que ele fica com a aparência viscosa. Porém, lavar em excesso a face gera o resultado contrário do desejado e as glândulas sebáceas podem acabar produzindo mais gordura.

“Esse é o chamado efeito rebote, que ocorre quando a nossa pele entende que tem algo errado e aumenta a produção de oleosidade para se proteger. O indicado é lavar o rosto apenas duas vezes por dia, uma pela manhã e outra à noite”, explica Dr. Alberto.

A queda hormonal durante a menopausa afeta a pele.
Verdade. “As alterações hormonais fazem parte desse período da vida das mulheres e acabam influenciando também na saúde e aparência. Com a diminuição do estrogênio produzido pelo corpo, por exemplo, a pele começa a ficar mais ressecada, há perda de colágeno e flacidez. Além disso, acontece também a conversão da testosterona para dihidrotestosterona, uma variação mais ativa do hormônio, e algumas mulheres podem ter um surgimento atípico de pelos e espinhas”, explica o dermatologista.

Pele oleosa envelhece mais tarde do que a pele seca.
Mito. A oleosidade não tem nenhuma relação com o envelhecimento. O que interfere na maneira como a pele fica mais velha são fatores como a exposição ao sol, poluição, hormônios, o passar dos anos, hábitos de cuidados e, principalmente, a hidratação, que, como falamos acima, é medida pela quantidade de água presente nas células da derme.

Dormir sem tirar a maquiagem pode causar acne.
Verdade. A falta de limpeza adequada na pele acaba gerando um acúmulo de substâncias que obstrui os poros e impede que as glândulas sebáceas eliminem a gordura produzida. Como resultado, surge uma inflamação que leva ao aparecimento de espinhas. Por isso, sempre lembre de limpar o rosto com um sabonete facial específico para o seu tipo de pele e um demaquilante, assim a higienização fica garantida.

 (Anetlanda/Thinkstock)

Não é preciso usar protetor solar em dias nublados.
Mito. Não importa como o céu esteja, aplicar o protetor solar diariamente é necessário. “As nuvens presentes nos dias nublados filtram apenas 20% dos raios ultravioletas que são emitidos. Por isso, mesmo quando o sol não está brilhando, a pele ainda pode ser atingida por seus efeitos e ficar vulnerável à radiação, manchas, queimaduras, câncer de pele e envelhecimento precoce”, diz o dermatologista.

Dormir bem influência na saúde da nossa pele.
Verdade. Ter uma boa rotina de sono e respeitar as horas necessárias de descanso para o seu corpo é benéfico para a saúde como um todo, inclusive para a nossa pele. Enquanto dormimos, o organismo põe em prática o ciclo de diversos hormônios que atuam sobre nós. Por isso, quando o sono é ruim, acontece um desbalanço sobre essa atividade, conhecido como estresse hormonal.

“Dormir bem ajuda a equilibrar a circulação da pele, evita a produção de radicais livres pelo descompasso hormonal, o ressecamento e o envelhecimento precoce da face”, finaliza Dr. Alberto.

Espinhas só aparecem durante a adolescência.
Mito. “Não existe apenas um tipo de acne ou só um motivo para ela acontecer. As espinhas podem aparecer por conta do desequilíbrio hormonal, uso de produtos que não são adequados para a pele, oleosidade, estresse e diversos outros fatores que ocorrem ao longo da vida”, explica o dermatologista Dr. Alberto Cordeiro.

Os cuidados com a pele mudam de acordo com a idade.
Verdade. Com o passar dos anos, não somos só nós que amadurecemos, mas a nossa derme também. Por isso, é necessário mudar a rotina de beleza conforme ficamos mais velhos para acompanhar as necessidades da pele. “Com a idade, perdemos mais água para o meio externo, há alterações estruturais das células e passamos a ter uma capacidade menor de reparação celular. Ficar em sintonia com o que a nossa saúde precisa é a melhor forma de cuidar dela”, finaliza o Dr. Alberto Cordeiro.

Por Thais Varela | M de Mulher

Você Pode Gostar

Faça um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *